Destaques

A Undime/PB realizará no dia 08 de março o Fórum Estadual Ordinário da Undime/PB 2013, no Auditório da Fundação Suellen Caroline, localizada à Rua Luiza Bezerra Mota, N°400, no bairro Catolé (em frente ao Colégio Motiva Jardim Ambiental), em Campina Grande/PB, das 09h às 17h. Além do Fórum, também serão realizadas as eleições para nova Diretoria Executiva da entidade para o biênio 2013/2015.

O referido Fórum Estadual Ordinário da Undime/PB 2013 antecede a Eleição Nacional que acontecerá ainda este semestre no Estado da Bahia (previsão para o mês de maio). No que se refere à Eleição Nacional, informamos que o Estado da Paraíba, por meio da Unidme/PB, elegerá 08 (oito) delegados, sendo um deles o (a) Presidente da Seccional e mais 07 (sete) eleitos no Fórum Estadual Ordinário da Undime/PB 2013 do dia 08/03/13.

É muito importante a participação dos DME's da Paraíba ao Fórum Estadual Ordinário da Undime/PB 2013, considerando a importância do evento para todos nós que fazemos a Educação nos municípios paraibanos.

 

Ascom Undime/PB.

Será nesta sexta-feira (15/02) em João Pessoa/PB, a 1ª Reunião dos Dirigentes Municipais de Educação da Paraíba. O evento acontecerá das 09h às 13h, no Auditório da Reitoria da Universidade Federal da Paraíba – UFPB, em João Pessoa, a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação – Undime/Seccional Paraíba em parceria com a Secretaria de Educação do Estado estará promovendo a 1ª Reunião dos Secretários Municipais de Educação, com o objetivo de apresentar aos Dirigentes Municipais de Educação as orientações sobre prazos, programas e projetos que são desenvolvidos pelo Ministério da Educação e oferecidos aos municípios.

Lembramos que cada município deverá encaminhar para a referida reunião apenas 01 (um) representante, de preferência o titular da pasta de Educação, tendo em vista que o espaço destinado ao encontro possui capacidade limitada, por esse motivo convidamos exclusivamente o Secretário (a) Municipal de Educação para se fazer presente ao evento.

Ressaltamos que ficará a cargo dos municípios arcar com as despesas com transporte, alimentação e se for o caso hospedagem de seus representantes.

Tendo em vista a importância desse momento para nos informamos sobre as diversas diretrizes relacionadas à Educação em nossos municípios, nosso Estado e nosso País, esperamos contar com a presença dos 223 Dirigentes Municipais de Educação e garantir o sucesso e melhor aproveitamento das informações que serão apresentadas.

Ambiente virtual gratuito pretende apoiar a gestão das secretarias municipais de educação de todo o país

Página eletrônica é alimentada periodicamente com informações apuradas diretamente de fontes oficiais

O lançamento da plataforma Conviva Educação - ambiente virtual gratuito para apoiar a gestão das secretarias municipais de educação de todo o país – foi realizado na noite dessa quarta-feira (30), em Brasília. A página é resultado de uma parceria entre um grupo de 11 institutos e fundações, com gestão da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e apoio do Conselho Nacional dos Secretários de Educação (Consed) na divulgação e mobilização nos municípios.

O ministro da educação, Aloizio Mercadante, participou do lançamento e disse que a “tecnologia da informação é uma das grandes ferramentas para aperfeiçoar a educação em todos os níveis. E a troca de experiências é fundamental na construção de uma cultura de compartilhamento entre os municípios”, conforme informações do site do Ministério da Educação (MEC).

O foco do ambiente virtual é melhorar a qualidade do ensino e do processo de aprendizagem dos estudantes. Inicialmente, o investimento no projeto é de R$ 4 milhões. A página disponibiliza recursos multimídia direcionados a auxiliar os dirigentes municipais de educação, além das respectivas equipes na realização de atividades.

Segundo o MEC, o Conviva Educação é alimentado periodicamente com informações apuradas diretamente de fontes oficiais, tais como demanda e calendário escolares, gestão orçamentária, alimentação, transporte e suprimentos, entre outros. De acordo com o Ministério, mais de 300 municípios já estão cadastrados no ambiente eletrônico.

Quem acessa o Conviva Educação também pode participar de debates, bem como divulgar ações bem sucedidas.

Autor: Leia Já

http://www.leiaja.com/carreiras/2013/conviva-educacao-e-lancado-em-brasilia

Fonte: Undime Nacional

As grandes variações no piso e dificuldade em equiparar o salário dos docentes ao de outros profissionais com curso superior põe em discussão os critérios utilizados para o reajuste e a maneira como os recursos são geridos

O valor do novo Piso Nacional do Magistério, anunciado na semana passada, causou desconforto. Com um reajuste de apenas 7,97%, muito abaixo do previsto no ano passado, as redes devem passar a pagar, no mínimo, 1.567 reais aos funcionários da Educação. Apesar de estar acima da inflação, o aumento pouco contribui para valorizar o Magistério e equiparar o salário dos docentes ao dos demais profissionais com Ensino Superior completo - uma das metas do Plano Nacional de Educação (PNE), atualmente em discussão no Senado.

O reajuste do piso já foi tema de debate em outras situações. Nos dois últimos anos, os grandes aumentos (de 16% e 22%, respectivamente) fizeram com que diferentes redes alegassem não ter condições de pagá-los. Como resultado, greves se espalharam por todo o país. O problema agora é o inverso: o baixo percentual pode agradar gestores públicos, mas tende a desagradar aos educadores.

A explicação para o reajuste mudar tanto de um ano para o outro está na maneira como esse percentual é calculado. Por lei, o piso aumenta de acordo com a projeção de crescimento do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), composto por diversos impostos. De 2011 para 2012, por exemplo, previu-se que o Fundeb cresceria 22%, fazendo com que o piso saltasse de 1.187 para 1.451 reais. Já de 2012 para este ano, a previsão de crescimento foi menor (7,97%), consequentemente, os salários subirão menos. Em outras palavras: o critério atual permite que o aumento seja exageradamente grande em anos de boa economia e insatisfatório quando o ritmo do crescimento é mais lento.

Tanta instabilidade, é claro, preocupa tanto gestores quanto professores e demais funcionários da Educação. Existem hoje dois projetos de lei em tramitação no Congresso que propõem mudar o critério do reajuste. Uma proposta é utilizar como base para o cálculo apenas do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). A medida não é bem-vinda, pois faz com que não exista um aumento real, o que inviabiliza a equiparação do rendimento dos trabalhadores do Magistério ao de outros profissionais com a mesma formação.

Outro projeto, defendido pela União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), pela Confederação Nacional dos Trabalhadores de Educação (CNTE) e pela Campanha Nacional pelo Direito à Educação, aponta como alternativa a combinação do INPC com uma fração da variação no Fundeb. Com isso, será possível evitar saltos bruscos do valor do piso, mas garantir que, na maioria dos casos, haja um aumento consistente. “A única hipótese em que não haverá aumento real é no caso de o fundo ficar estagnado, o que pode ocorrer em épocas de crise econômica”, explica Salomão Ximenes, advogado da ONG Ação Educativa.

Além de rever as regras para o reajuste do Piso Nacional, é necessário garantir que as redes terão como pagá-lo. Para isso, os gestores públicos precisam fazer o dever de casa. Como explica Cleuza Repulho, presidente da Undime: “é necessário elaborar planos de carreira consistentes e garantir que não haja professores exercendo cargos fora da sala de aula”, o que compromete o orçamento. Os estados e municípios que, mesmo com medidas como essa, não tiverem como arcar com os custos da folha de pagamento, podem receber a complementação do governo federal, como previsto na lei do piso.

O fato é que a valorização dos profissionais de Educação é fundamental e passa pelo pagamento de salários base dignos e pela criação de planos de carreira atrativos. Mais do que apenas falar sobre a importância da Educação, é hora de promover os ajustes necessários tanto na lei quanto na gestão das redes para garantir que a melhoria se torne realidade.

Autor: Nova Escola

http://revistaescola.abril.com.br/politicas-publicas/piso-nacional-polemica-reajuste-731407.shtml

O Plano Nacional de Educação (PNE) deve ser votado pelo Senado Federal até junho deste ano. A expectativa é do senador José Pimentel (PT-CE), relator do projeto. Em 2012 a votação foi adiada pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) da casa, que terminou o ano sem um parecer definivo. “Espero que até o final de junho a gente conclua a votação no Senado. O projeto então volta à Câmara. Trabalhamos no sentido de aprovar toda essa matéria no ano de 2013”, disse em debate no 14º Conselho Nacional de Entidades de Base (Coneb) da União Nacional dos Estudantes (UNE).

O Folheto “Excelência na Gestão da Educação Municipal” chegou a cada um dos municípios do país na semana passada. Além de apresentar a Undime aos prefeitos que tomaram posse no último dia 1, o Folheto tem informações sobre a importância da “Agenda dos Cem Primeiros Dias e do “Caderno de Orientações”. Estas duas publicações chegarão às prefeituras nos próximos dias e serão usadas como base de informações aos Dirigentes Municipais de Educação.

Se você ainda não recebeu o Folheto, clique aqui.
A “Agenda dos Cem Primeiros Dias” pode ser acessada aqui.
Já o “Caderno de Orientações” está disponível aqui.

Dirigente, não deixe de acessar, imprimir e ler as duas publicações com cuidado. É a certeza de que seu trabalho terá sucesso.

FONTE: UNDIME NACIONAL

Receita estimada do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) para o exercício de 2013 é 13,9% maior que a de 2012. Os valores foram publicados no Diário Oficial da União (DOU), por meio da Portaria Interministerial 1.496, de 28 de dezembro de 2012.

De acordo com a Portaria, a receita total do Fundo estimada para este ano é de R$ 116,8 bilhões, sendo R$ 107,1 bilhões a soma das contribuições de Estados, Distrito Federal e Municípios e R$ 9,7 bilhões de complementação da União aos mesmos nove Estados: AL, AM, BA, CE, MA, PA, PB,PE e PI.

Essa previsão corresponde a um aumento de R$ 14,2 bilhões ou de 13,9% para 2013 em relação à estimativa corrigida para 2012 no último dia do ano.

O anúncio dos vencedores da 3ª Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro acontecerá na próxima segunda-feira (10/12) , a partir das 16h, em cerimônia realizada em Brasília, Distrito Federal. Dentre os 38 semifinalistas de cada categoria - Poemas, Crônicas, Memórias Literárias e Artigo de Opinião -, serão escolhidos cinco vencedores. A Paraíba mais uma vez está entre os finalistas da OLP e concorre pela primeira vez em todas as categorias: Artigo de Opinião, Poema, Memória e Crônica.

 

Com o tema "O lugar onde vivo" a Olimpíada está na sua 3ª edição e com ela valorizou ainda mais o gosto pela leitura e escrita a ser desenvolvido nas escolas do nosso Estado. Com textos variados, os alunos puderam se identificar com a temática e conduzir a história literária com as próprias mãos. Segue abaixo a lista dos finalistas paraibanos:

Aconteceu nesta sexta-feira (30/12) em Campina Grande, o II Fórum Extraordinário da Undime/PB que reuniu cerca de 110 Secretários Municipais  para tratarem de assuntos voltados a educação básica no nosso Estado.

No encontro foram debatidos assuntos como,  o procedimento para a realização do Memorial de Gestão, palestra proferida pelo Ex-Presidente da Undime/PB, Flávio Romero Guimarães, que ressaltou a importância da avaliação de cada Secretário sobre o seu tempo a frente das Secretarias, registrando os avanços que cada Município obteve nesse período.

A palestra do Presidente da FAMUP e Prefeito do Município de Picuí, Rubens Germano com o tema: Quadro Financeiro 2012,  trouxe esclarecimentos para a prestação de contas municipais e foi feito uma prestação de contas das ações da Undime/PB pela Presidente da entidade, Amarides Dantas.

Acontece nesta sexta-feira (30/12), em Campina Grande, o II Fórum Estadual Extraordinário da Undime/PB. O evento será realizado no Auditório da Fundação Suellen Caroline, das 08 às 13h com o intuito de tratar assuntos relacionados a gestão pública nos municípios paraibanos.


 

O Fórum é destinado, exclusivamente, aos Secretários Municipais de Educação, ou seja, 01 vaga por município, e caso o Secretário não possa comparecer, deverá indicar um representante, tendo em vista a importância das palestras que serão apresentadas no evento. Segue a programação completa:

08h às 08:30min – Credenciamento e acolhida dos participantes

08:30min – Apresentação Cultural, Formação da mesa de honra, execução do Hino Nacional, fala da Presidente da Undime/PB e demais autoridades.

09h – Palestra sobre Gestão Pública: Continuidade e Descontinuidade

Palestrante: Dr. Harrison Alexandre Targino (Ex-Secretário de Educação do Estado/PB, Ex-Secretário de Segurança Pública do Estado/PB,  Ex-Secretário de Educação de Campina Grande/PB)

09:40min – Debate

10h Palestra sobre Quadro Financeiro 2012: FPM e FUNDEB

Palestrante: Rubens Germano Costa (Presidente da FAMUP e Prefeito do município de Picuí/PB)

10: 40min – Intervalo (coffee break)

11h – Palestra sobre Memorial de Gestão e CONAE 2013/2014

Palestrante: Prof°. Flávio Romero Guimarães (Ex-Presidente da Undime/PB, Ex-Secretário de Educação de Campina Grande/PB)

11:45min – Debate

12h – Informes (Estatuto, Eleições 2013, Fórum Nacional da Undime em 2013)

12:30min –  Fala da Presidente da Undime/PB – Amarides do Carmo Dantas Dias

13h - Encerramento do evento