Estudo inédito da OCDE sobre o Saeb será tema da primeira mesa do debate, que contará com Andreas Schleicher, diretor de educação da OCDE, Caitlyn Guthrie, analista de políticas educacionais da OCDE e George Bethell, consultor técnico da OCDE; Evento on-line acontece pela importância de se pensar nas avaliações de aprendizagem como forma de apoio na superação da crise educacional aprofundada pela pandemia da Covid-19

 

Na próxima quinta-feira, 15 de julho de 2021, das 10h às 12h30, Fundação Lemann, Instituto Natura e Estadão, em parceria com Estadão Blue Studio, realizarão o seminário “O Futuro das Avaliações Educacionais: evidências para promover aprendizagem”. No evento, serão apresentadas seis recomendações inéditas da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) para o Saeb (Sistema de Avaliação da Educação Básica), a partir de uma análise encomendada à organização com base em casos internacionais e na necessidade de adequação das provas à Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

O debate também irá abordar experiências de avaliação na pandemia e os impactos nos processos de alfabetização com a suspensão das aulas presenciais. O objetivo do seminário é entender o cenário em que a educação se encontra e discutir as avaliações como uma das ferramentas para a superação da crise educacional aprofundada pela pandemia de Covid-19 e para o desenvolvimento de novos processos de aprendizagem.

O seminário conta com mediação da jornalista Renata Cafardo e nomes como: Andreas Schleicher, Diretor da Divisão de Educação da OCDE; Caitlyn Guthrie, analista de políticas educacionais da OCDE; George Bethell, consultor técnico da OCDE; Rossieli Soares, Secretário da Educação do Estado de São Paulo; Maria Helena Castro, presidente do Conselho Nacional de Educação; João Pedro Azevedo, economista líder do Banco Mundial; Daniel de Bonis, Diretor de Políticas Educacionais da Fundação Lemann; Kátia Helena Serafina Cruz Schweickardt, ex-Secretária Municipal de Educação de Manaus; Ana Coelho Selva, Secretária Executiva do Desenvolvimento da Educação de Pernambuco; e Andréa Maria Bernardino, Professora da Educação Especial da Escola Estadual Pontezinha (Pernambuco).

“Não podemos classificar essa geração como perdida por conta da pandemia. Existem experiências de aceleração de aprendizagem e recuperação da defasagem que mostram que é possível retomar o que foi perdido. Mas, para isso, além de garantir o vínculo do aluno com a escola, precisamos investir em avaliações de qualidade, para mensurar o nível em que os estudantes estão e descobrir o que será preciso reforçar”, afirma Daniel de Bonis, Diretor de Políticas Educacionais da Fundação Lemann.

“É urgente também termos um olhar especial e atento para a etapa da alfabetização, uma das mais prejudicadas pela pandemia e que já vinha de um cenário preocupante. É uma tragédia silenciosa que, para começar a ser resolvida, exige sistemas de avaliações para identificar a defasagem e os desafios que temos pela frente, só assim conseguiremos planejar a recomposição da aprendizagem e traçar estratégias nas esferas nacional, estadual e municipal”, diz David Saad, diretor Presidente do Instituto Natura.

O evento será dividido em três painéis (mais informações abaixo) e terá transmissão ao vivo na TV Estadão e nas redes sociais do jornal. A inscrição é gratuita e deverá ser realizada na landing page do seminário.

 

“O FUTURO DAS AVALIAÇÕES EDUCACIONAIS: EVIDÊNCIAS PARA PROMOVER APRENDIZAGEM”

PAINEL 1 Repensando o SAEB: perspectivas para o futuro da avaliação nacional
A OCDE foi convidada a realizar uma análise (policy review) sobre o SAEB e as mudanças que têm sido debatidas pelo Governo Federal e especialistas, levando em consideração a aprovação da BNCC no Brasil e experiências internacionais. Para onde vai o sistema de avaliação brasileiro comparado ao mundo e olhando a aprendizagem no século XXI?

PAINEL 2 Importância e desafios da avaliação no contexto da Covid-19
O contexto atual da pandemia do novo coronavírus no Brasil impõe desafios e reforça, ainda mais, a necessidade de compreender os impactos da crise na aprendizagem dos estudantes. Nesta mesa serão discutidas experiências de avaliação na pandemia e modelos possíveis para apoiar a aprendizagem na retomada das escolas.

PAINEL 3 Alfabetização na idade certa: diagnóstico e intervenções
Na terceira mesa, serão aprofundados os processos de leitura e de escrita, tão impactados pela suspensão das aulas presenciais, e tão fundamentais para o sucesso na trajetória escolar dos alunos.


Sobre a Fundação Lemann
A Fundação Lemann acredita que um Brasil feito por todos e para todos é um Brasil que acredita no seu maior potencial: gente. Isso só acontece com educação de qualidade e com o apoio a pessoas e organizações que querem resolver os grandes desafios sociais do país. Nós realizamos projetos ao lado de professores, gestores escolares, secretarias de educação e governos por uma aprendizagem de qualidade. Também apoiamos centenas de talentos, lideranças e organizações que trabalham pela transformação social. Tudo para ajudar a construir um país mais justo, inclusivo e avançado. Saiba mais em: fundacaolemann.org.br.
Siga-nos nas redes: TwitterInstagramFacebook LinkedIn.

Sobre o Instituto Natura
O Instituto Natura é uma entidade social da Natura, criado em 2010 com o propósito de ampliar os investimentos em educação, realizados pela empresa desde 1995. A instituição apoia políticas públicas relacionadas à alfabetização e ensino médio, realizando iniciativas voltadas para a articulação do terceiro setor educacional e para o desenvolvimento das Consultoras de Beleza Natura. O investimento acontece por meio da venda dos produtos da linha Crer Para Ver, comercializada pelas Consultoras de Beleza Natura, sem lucro. Atualmente, o Instituto Natura atua em 21 estados, com iniciativas que envolvem mais de um 1,5 milhão de crianças e jovens por ano. Na atuação com a educação das Consultoras de Beleza Natura, o Instituto Natura está em todos os estados. Saiba mais em: institutonatura.org

Fonte: Fundação Lemann e Instituto Natura